Odete Roitman:

Após um tenebroso inverno de monografias (porque o sonho de tomar meus bons drink na margem do Sena ainda não acabou) e constatando que tem bastante gente que visita (será que o contador está certo?) resolvi publicar algo diferente neste verão. Nada mais condizente com o tema do post (Sena e ressurreição) que a nossa ilustríssima personagem Odete Roitman. Para quem não se lembra, a personagem interpretada por Beatriz Segal na novela Vale Tudo foi uma das vilãs mais memoráveis da teledramaturgia brasileira. Dona de um humor ácido e de uma sofisticação exemplar, ela adorava insultar o Brasil e seus habitantes. Mas, o que ela gostava mesmo era de uma boa… baixaria. Para completar, selecionei as melhores frases da vilã:

 

“Às vezes eu tenho a sensação que as pessoas não viajam, não aprendem, não vão à Paris. Aliás, não vão nem a Buenos Aires.”

 

“E eu que pensei que alguma coisa tinha mudado nesse país. Foi só botar o pé aqui que você começa a sentir esse calor horroroso, uma gente horrível no caminho, gente feia esperando ônibus caquéticos no ponto.”

 

“Roma é a cidade eterna, mas eu continuo preferindo Paris. Aliás, Paris é minha pátria, assim como é de todas as pessoas civilizadas.”

 

“Você acha que eu vou pegá-los no aeroporto? Eu acho a coisa mais jeca dar plantão em aeroporto. Eles até colocaram vidro para as pessoas não verem quem está chegando, mas mesmo assim as pessoas colocam o nariz no vidro, penduram criancinha pra dar ‘tchau’. Eu vou mandar o chofer.”

 

“Nosso jantar é muito simplesinho. O primeiro prato é de uma simplicidade franciscana. Temos uma lagostazinha.”

 

“Chinelo, chinelo… Que palavra horrível! Português é uma língua tão chinfrim.”

 

“O Brasil é um país de jecas. Ninguém aqui sabe usar talher de peixe.”

 

Por: Agrado

Anúncios